Arquivos do Blog

Um segredo nas aventuras do D&D

Ou: Dungeons & Dragons pode estar escondendo algo no meio de suas aventuras.

Aparentemente, o Dungeons & Dragon tem escondido algo misterioso em todas as suas aventuras. Algo envolvendo obeliscos altos que exalam um tipo desconhecido de magia.

No final de semana passado, eu decidi ler a Out of the Abyss, aventura de Dungeons & Dragons de 2015, envolvendo o Subterrâneo e demônios, enquanto voltava para casa do evento “Stream of Many Eyes“. Enquanto lia a aventura, me deparei com a descrição de um misterioso obelisco negro escondido nos Whorlstone Tunnels, abaixo da cidade duergar de Gracklstugh, no Subterrâneo.

A estrutura tem 15 metros de altura e é toda feita num “metal alienígena” que exala um tipo estranho de “quase-magia”. Ela tem uns pedaços faltando e, se os personagens encontrarem fragmentos dela em outras partes das cavernas, o obelisco as absorverá e irá “se curar”, perdendo algumas de suas rachaduras e deformidades.

Curiosamente, a aventura não provê uma explicação sobre a natureza do obelisco. De início, eu achei que fosse apenas um gancho de história não explorado deixado para que os mestres de jogo pudessem aproveitar. Mas depois eu descobri que há outros obeliscos parecidos escondidos em outras campanhas de D&D.

Por exemplo: a cidade de Nighstone, na Storm King’s Thunder, foi batizada por conta de um misterioso obelisco enorme e negro que irradiava magia, apesar dele ter sido roubado por gigantes antes do começo da aventura. Há ainda um obelisco negro de pedra no Shrine of Bleeding Stone, na aventura Princes of the Apocalypse, e um obelisco rachado que foi dilapidado por Acererak e que contém um demônio, que fica de pé na frente dos Rotten Halls, na Tomb of Annihilation. Os obeliscos possuem tamanhos diferentes, mas todos parecem ter qualidades mágicas estranhas e parecerem fazer parte de algo maior e desconhecido.

Apesar de obeliscos não serem algo incomum em histórias de fantasia, parece bastante que o D&D está usando eles para sinalizar algo… De fato, fóruns como o Reddit e o ENWorld estão cheios de teorias de que os obeliscos são elos que ligam tudo a uma aventura maior planejada para o futuro.

E eles não parecem ser postos ali aleatoriamente mesmo. No AMA de 2017 no Reddit, o diretor criativo da linha, Mike Mearls, disse que não poderia responder quando perguntaram a respeito dos obeliscos.

Ainda teremos de esperar para ver se outro obelisco negro aparecerá em Águas Profundas ou na Undermountain (alguém lembra como traduziram o nome dessa dungeon para o português?) nas aventuras que irão sair ainda este ano. Também será interessante ver se esses obeliscos aparecem ou oferecem alguma conexão com um dos cenários de campanha que poderão aparecer em publicações oficiais ainda este ano.

Que outros mistérios escondidos você encontrou durante sua exploração do cenário de Forgotten Realms? Comenta aí!

 

Fonte: ComicBook.com ‘Dungeons & Dragons’ Might Be Hiding a Secret in All of Its Adventures

Anúncios

Primeval Thule – o primeiro cenário para D&D 5e

NotíciasA Sasquatch Game Studios – empresa composta por figurões que já passaram pela Wizards of the Coast como Dave Noonan, Richard Baker e Stephen Schubert – responsável pela saga Princes of the Apocalypse, anunciou que está atualmente trabalhando na produção de um livro capa-dura de 288 páginas detalhando um cenário de campanha para D&D 5ª Edição. Trata-se da adaptação de Primeval Thule, um cenário inspirado nas obras de Robert E. Howard e H. P. Lovecraft e que já possui versões para Pathfinder, 13ª Era e D&D 4e.

Logotipo Primeval ThuleCom estas caras influências de Conan e Cthulhu, o cenário é “selvagem e intenso” sendo um “lugar perigoso cheio de áreas selvagens infestadas de bárbaros, cidades-estado decadentes, monstros horripilantes e mistérios místicos ancestrais“. Se você é um fã de fantasia e horror pulp – Conan, o Bárbaro; Kull, de Atlantis; Hyperborea; Tarzan e a mitologia de Lovecraft – provavelmente achará este cenário interessante. Adicione a esta mistura uma boa dose de Pellucidar e A Terra que o Tempo Esqueceu de Edgar Rice Burroughs, bem como o estilo artístico de Frank Frazetta e você conseguirá imaginar muito bem como é a pegada de Primeval Thule.

A capa do Primeval Thule usada na versão para Pathfinder. E 13ª Era. E D&D 4ª Edição. E possivelmente para a nova versão.

A capa do Primeval Thule usada na versão para Pathfinder. E 13ª Era. E D&D 4ª Edição. E possivelmente para a nova versão.

A Sasquatch vai produzir um livro capa-dura de 288 páginas coloridas, com um mapa-pôster do mundo. Ele conterá mais de 40 novos monstros, além de várias magias, itens mágicos e todo o material que você espera de um cenário de campanha. Ele será o primeiro cenário de campanha para o D&D 5e.

Eles devem começar a campanha no Kickstarter na próxima semana. A data de lançamento exata não foi decidida ainda, mas deverá acontecer em breve. Como foi dito por Dave Noonan: “Nós vamos cumprir com esse projeto logo! Ele é a nova versão de um livro que já publicamos, e muito do texto e da arte já estão prontos. Vamos enviar os arquivos para a gráfica assim que a campanha no Kickstarter terminar e soubermos de quantos livros precisaremos.” Como ocorre com as demais companhias que começam a experimentar lançar produtos para a 5e, eles usarão a Open Gaming License.

A versão atual do cenário possui uma raça de personagens nova (os Atlanteanos), 19 “narrativas heróicas“, mais de 40 monstros, 3 aventuras, uma cidade chamada Quodeth, a Cidade dos Ladrões, e um continente de “aventuras selvagens“.

Fonte: EN World | A Savage D&D 5E Campaign Setting From the Makers of PRINCES OF THE APOCLAYPSE