Arquivos do Blog

#RPGaDay2015 – Dia 27: Idéia favorita para mesclar dois jogos em um

logo #RPGaSAY2015Este é um post da gincana virtual #RPGaDAY2015. É uma campanha interessantíssima que visa fomentar a discussão sobre RPGs na rede. Clique na imagem ao lado para alcançar uma página onde eu explico melhor a respeito desta brincadeira. Se você gostou da idéia, participe você também! Não precisa ter blog. Pode soltar a sua opinião nas mídias sociais e comentar quando ver esse tipo de artigo. O importante é fomentar o debate, não importa muito o meio.

Novamente, apesar do que eu havia prometido no dia 10, não há sentido em apontar uma resposta nacional e outra internacional hoje. Então, hoje vai só uma.

Idéia favorita para mesclar dois jogos em um: Vigilantes de Vectora

Essa é uma idéia com a qual eu venho brincando há muito tempo, mas sempre fico enrolando para colocá-la em prática: misturar Tormenta RPG com Mutantes & Malfeitores e criar um mini-cenário tratando a cidade voadora de Vectora como uma cidade fictícia de histórias de super-heróis, porém, mantendo a fachada de cenário de fantasia.

No lugar de termos um inventor, um deus, um super-soldado e um cara numa armadura, por exemplo, o grupo poderia ser formado por um engenhoqueiro (ou mago), um deus menor ou semideus, um paladino e um cara com muitos itens mágicos. Eles combateriam chefões do crime, assaltantes vindos de outros planos, agentes de organizações malignas que querem dominar o mundo, cultistas que querem despertar deuses antigos. Enfim, ter todas as aventuras que normalmente são retratadas em revistas em quadrinhos, mas com a roupagem de fantasia.

Fala sério! É um jogo de supers esperando para acontecer!

Fala sério! É um jogo de supers esperando para acontecer!

A chegada do Surfista Prateado para avisar o Quarteto Fantástico da chegada do Galactus? Que tal a chegada de um cultista perante um grupo de aventureiros (uma ladina psiônica, um feiticeiro com poderes ligados ao fogo, um mago e um guerreiro que teve a alma transferida para um golem de pedra) para alertá-los da chegada do grande Lorde Devorador vindo do Abysmo?

Guerra Civil por causa do registro dos heróis? Que tal uma guerra entre as guildas e o conselho da cidade sobre a elaboração de uma “licença de aventureiro”?

Enfim, as possibilidades são muitas. E a idéia me empolga bastante. Mas nunca consigo fechar um grupo legal de pessoas que topariam e que possuem a mesma disponibilidade de horário para jogarmos esse jogo.

—-

E você? Já teve idéias legais de mesclar dois jogos em um?

Anúncios

#RPGaDay2015 – Dia 19: RPG de supers preferido

logo #RPGaSAY2015Este é um post da gincana virtual #RPGaDAY2015. É uma campanha interessantíssima que visa fomentar a discussão sobre RPGs na rede. Clique na imagem ao lado para alcançar uma página onde eu explico melhor a respeito desta brincadeira. Se você gostou da idéia, participe você também! Não precisa ter blog. Pode soltar a sua opinião nas mídias sociais e comentar quando ver esse tipo de artigo. O importante é fomentar o debate, não importa muito o meio.

Seguindo o que eu havia prometido no dia 10, vou apontar uma resposta nacional e outra internacional. Vamos lá?

RPG de supers preferido (Nacional): Advanced Defensores de Tóquio

Capa Advanced Defensores de TóquioPode ser o charme das ilustrações sacaneando os clássicos da antiga TV Manchete, pode ser a aventura no mundo dos video-games, pode ser o Merchandising Man me mandando comprar a espada de brinquedo dele por apenas 29,95, mas o Advanced Defensores de Tóquio – o pai bobão de bermuda, bigode e pochete do 3D&T – é um jogo que me rendeu horas de diversão e até hoje tem um lugar guardado nas lembranças.

RPG de supers preferido (Internacional): Mutantes & Malfeitores 2ª Edição

Capa Mutantes & Malfeitores 2ª EdiçãoNão é segredo para ninguém que eu considero o Mutantes & Malfeitores 2ª Edição um dos jogos de RPG mais perfeitos que existem. Nunca encontrei um sistema de supers que ganhasse dele em facilidade de uso e flexibilidade das regras (os atributos mais importantes para um RPG de super-heróis, em minha opinião), nem mesmo a terceira edição conseguiu me agradar da mesma forma que a segunda.

A forma como ele lida com usos alternativos para os poderes, o equilíbrio imposto pelos limites da campanha, a maneira como ele permite montar um grupo com humanos e deuses juntos sem que nenhum necessariamente roube a cena do outro. Enfim. Mutantes & Malfeitores 2ª Edição tem tudo o que eu espero de um RPG de supers. E acho difícil de surgir algum melhor tão cedo (mas espero em breve ser provado errado).