Arquivos do Blog

Aventura: Os Mortos Escavadores

Logo da 13ª Era

Nos últimos tempos, os túmulos do cemitério de Greenhill começaram a esvaziarem-se misteriosamente. O primeiro sinal foi uma cova cuja terra pareceu ceder para dentro. Mas ao escavarem-na, foi descoberto que ela estava vazia. Recentemente, a situação ficou ainda mais perturbadora, quando os moradores começaram a desaparecer sem deixar sinal algum.

Agora que o 13ª Era foi lançado no Brasil pela Editora New Order, nada melhor para dar boas vindas a este jogo sensacional do que apresentar uma aventura bem legal de nível baixo, prontinha para ser usada com um grupo iniciante de aventureiros (entre 1º e 3º nível).

Os Mortos Escavadores é uma aventura de investigação escrita originalmente por David “Grimmshade” Thomas e disponibilizada no site Exploring-Infinity.com. Ele gentilmente me deu permissão para traduzí-la e disponibilizá-la aqui para vocês.

Download

#RPGaDay2015 – Dia 02: Jogo do Kickstarter cujo apoio lhe foi mais prazeroso

logo #RPGaSAY2015Este é um post da gincana virtual #RPGaDAY2015. É uma campanha interessantíssima que visa fomentar a discussão sobre RPGs na rede. Clique na imagem ao lado para alcançar uma página onde eu explico melhor a respeito desta brincadeira. Se você gostou da idéia, participe você também! Não precisa ter blog. Pode soltar a sua opinião nas mídias sociais e comentar quando ver esse tipo de artigo. O importante é fomentar o debate, não importa muito o meio.

Seguindo o que eu havia prometido no dia 10, vou apontar uma resposta nacional e outra internacional. Vamos lá?

Jogo do Kickstarter cujo apoio lhe foi mais prazeroso (Nacional): 13ª Era

Livro 13a EraEu fiquei bastante chateado de não ter apoiado a campanha de financiamento coletivo deste jogo em sua versão original. Um jogo muito bom, bastante esperto, que toma muitas decisões de design bastante inovadoras e óbvias ao mesmo tempo – como o sistema de ícones, que me lembra muito as mecânicas de alegiance (lealdade/fidelidade) que eu havia visto em algumas adaptações do Sistema d20, com alguns toques das Keys do Shadows of Yesterday – e faz um jogo que me parece ter um sistema com uma curva de aprendizado tranquila e ser bastante suave de mestrar.

Infelizmente, eu não posso confirmar essas suspeitas, porque não mestre nem joguei o 13ª Era ainda. Apenas li o básico e emprestei para um amigo que havia me prometido que mestraria. Mas ele até hoje me enrola com esse jogo que não sai nunca. =/

Espero que agora, com uma versão em português, surjam mais mestres dispostos a tocar um jogo com esse sistema. Porque eu estou louco para jogar essa bagaça.

Inclusive, a campanha de financiamento do 13ª Era em português ainda está rolando no Catarse, em seus dias finais. Se quiser ajudar a trazer esse jogaço para o Brasil, a hora é agora. Eu acho que vai valer bastante a pena ajudar quando essa obra prima do RPG chegar em sua casa. Ainda mais porque quem está trazendo é a New Order Editora, uma novata no mercado que me impressionou primeiro pela ótima seleção de jogos que eles querem trazer (pelo menos metade deles são jogos que eu adoro) e depois pela qualidade foda que colocaram no livro básico do Lenda dos Cinco Anéis (um de meus RPGs preferidos).

Se o jogo for financiado, terá sido um dos meus melhores investimentos em RPG deste ano. E possivelmente o meu preferido de todas as campanhas de financiamento coletivo nacional.

Jogo do Kickstarter cujo apoio lhe foi mais prazeroso (Internacional): Fate

Capa Fate CoreO Fate, lançado aqui no Brasil pela Solar Entretenimento através de uma campanha no Catarse, é um sistema narrativo sensacional. Com um sistema de criação de personagens ultra simples e um sistema integrado que faz com que a própria criação dos personagens já forneça bastante material para o mestre de jogo, ele é relativamente antigo. Vindo do Fudge, ele é o sistema por trás do Espírito do Século, Legends of Anglerre, Diáspora. Porém, a cada incarnação, a cada jogo que ele era usado, o sistema evoluía um pouquinho mais.

Foi com o lançamento do Dresden Files RPG, um jogo simplesmente sensacional baseado em uma série de livros que eu acho muito legal, que eu senti que o sistema amadureceu até o ponto que eu considero perfeito. E aparentemente, os designers concordam, porque foi essa versão do Fate que eles pegaram para lançar como um sistema genérico.

Tão logo foi anunciada a sua campanha de financiamento coletivo no Kickstarter, eu pulei para fazer o pledge. De fato, eu estava tão confiante que seria um negócio muito foda, que eu apoiei para receber dois livros – para poder presentear uma amiga que eu tinha certeza de que gostaria do sistema (e que mestraria, porque eu não sou tão bobo assim). Não me arrependo nem por um instante de ter feito essa escolha. Das poucas vezes que joguei/mestrei o Fate, não teve uma só que eu não tenha me divertido bastante.

Dinheiro muito bem gasto, se você quer saber a minha opinião!

Primeval Thule – o primeiro cenário para D&D 5e

NotíciasA Sasquatch Game Studios – empresa composta por figurões que já passaram pela Wizards of the Coast como Dave Noonan, Richard Baker e Stephen Schubert – responsável pela saga Princes of the Apocalypse, anunciou que está atualmente trabalhando na produção de um livro capa-dura de 288 páginas detalhando um cenário de campanha para D&D 5ª Edição. Trata-se da adaptação de Primeval Thule, um cenário inspirado nas obras de Robert E. Howard e H. P. Lovecraft e que já possui versões para Pathfinder, 13ª Era e D&D 4e.

Logotipo Primeval ThuleCom estas caras influências de Conan e Cthulhu, o cenário é “selvagem e intenso” sendo um “lugar perigoso cheio de áreas selvagens infestadas de bárbaros, cidades-estado decadentes, monstros horripilantes e mistérios místicos ancestrais“. Se você é um fã de fantasia e horror pulp – Conan, o Bárbaro; Kull, de Atlantis; Hyperborea; Tarzan e a mitologia de Lovecraft – provavelmente achará este cenário interessante. Adicione a esta mistura uma boa dose de Pellucidar e A Terra que o Tempo Esqueceu de Edgar Rice Burroughs, bem como o estilo artístico de Frank Frazetta e você conseguirá imaginar muito bem como é a pegada de Primeval Thule.

A capa do Primeval Thule usada na versão para Pathfinder. E 13ª Era. E D&D 4ª Edição. E possivelmente para a nova versão.

A capa do Primeval Thule usada na versão para Pathfinder. E 13ª Era. E D&D 4ª Edição. E possivelmente para a nova versão.

A Sasquatch vai produzir um livro capa-dura de 288 páginas coloridas, com um mapa-pôster do mundo. Ele conterá mais de 40 novos monstros, além de várias magias, itens mágicos e todo o material que você espera de um cenário de campanha. Ele será o primeiro cenário de campanha para o D&D 5e.

Eles devem começar a campanha no Kickstarter na próxima semana. A data de lançamento exata não foi decidida ainda, mas deverá acontecer em breve. Como foi dito por Dave Noonan: “Nós vamos cumprir com esse projeto logo! Ele é a nova versão de um livro que já publicamos, e muito do texto e da arte já estão prontos. Vamos enviar os arquivos para a gráfica assim que a campanha no Kickstarter terminar e soubermos de quantos livros precisaremos.” Como ocorre com as demais companhias que começam a experimentar lançar produtos para a 5e, eles usarão a Open Gaming License.

A versão atual do cenário possui uma raça de personagens nova (os Atlanteanos), 19 “narrativas heróicas“, mais de 40 monstros, 3 aventuras, uma cidade chamada Quodeth, a Cidade dos Ladrões, e um continente de “aventuras selvagens“.

Fonte: EN World | A Savage D&D 5E Campaign Setting From the Makers of PRINCES OF THE APOCLAYPSE