Warcraft 5e: Chifre e Presa

A raça apresentada na semana passada é caracterizada por sua harmonia com o ambiente ao redor, pela dedicação aos espíritos de seus ancestrais e dos elementos que formam o mundo. E seguiremos esse tema nesta semana.

As raças presentes aqui são conhecidas por sua capacidade de adaptarem-se ao ambiente ao seu redor e pelo profundo respeito que nutrem pelos espíritos. Sejam os Tauren vivendo nas planícies (algumas vezes geladas), ou os Troll sobrevivendo nos ambientes mais selvagens, indivíduos de ambas as raças são conhecidos por terem adaptado-se aos lugares nos quais fizeram suas moradas. E por isso mesmo saberem usar os espíritos que formam as pedras, os rios, os ventos e as chamas contra seus inimigos.

Tauren

Os Tauren são uma raça de enormes humanóides bovinos que vivem, em sua maioria, nas grandes planícies da região central de Kalimdor. Por inúmeras gerações, suas disputas territoriais com os centauros os forçaram a ter uma natureza nômade pelos Sertões. Entretanto, durante a Terceira Guerra e a invasão da Horda em Kalimdor, os Tauren tornaram-se aliados das forças invasoras, e juntos expulsaram os centauros de suas terras sagradas em Mulgore. O Grande Chefe Caerne Casco Sangrento fundou a capital de Thunder Bluff para homenagear sua vitória, que selou a amizade dos Tauren com a Horda. Mesmo após o falecimento de Caerne, e a ascensão de seu flho, Baine Casco Sangrento, a cooperação e fdelidade dos Tauren com a Horda e da Horda com os Tauren permanece inabalada.
Os Tauren são um povo muito pacífico e honrado, mas também são guerreiros terríveis de se enfrentar num campo de batalha. A caça e o xamanismo
possuem grande destaque em sua cultura. Eles acreditam que todo Tauren deve honrar a Mãe Terra e respeitar a terra cultivando em si um pouco
de respeito pelos espíritos e toda a natureza ao seu redor.

A fé na Mãe Terra

Os Tauren veneram a Mãe Terra como sua entidade criadora. De acordo com sua crença, quando ela viu seus filhos corrompendo-se com os sussurros que vinham de debaixo da terra, ela arrancou seus olhos e os mandou vigiar e guiar seus filhos. O olho esquerdo virou Mu’sha, a lua, e o direito virou
An’she, o sol. Juntos, os olhos vigiam os Tauren e fornecem a luz que os guia em suas vidas.

Talvez pelo convívio com os Elfos Noturnos na Clareira da Lua, os druidas Tauren passaram muito tempo venerando apenas Mu’sha, que é considerada a identidade dentre os Tauren para a deusa Elune. Porém, desde pouco antes do Cataclisma, os Tauren têm experimentado um movimento reformista em sua comunidade, que busca exaltar a imagem de An’she e reestabelecê-lo como igual de Mu’sha na teologia dos Tauren, e assim reestabelecer o equilíbrio. Deste movimento nasceu a tradição dos Andarilhos do Sol, uma ordem de Taurens paladinos.

Caçadores naturais

Todo Tauren, guerreiro ou não, busca se identificar tanto como um caçador, quanto como cria da Mãe Terra. Jovens ou adultos, eles buscam provar sua
bravura combatendo criaturas poderosas da natureza. Caçar é o maior símbolo de honra para um Tauren – algumas vezes eles caçam por comida, outras
por honra e até mesmo para aprender alguma lição da Mãe Natureza.

Caçadores são uma parte importante da tradição dos Tauren. Eles são importantes para as tribos e são venerados e respeitados caso sirvam bem a sua
comunidade. Enquanto os poderosos guerreiros defendem as casas e territórios, os xamãs mostram as lições dos antepassados e os druidas revelam a vontade da Mãe Natureza, os caçadores são aqueles que buscam unir aspectos de todas estas funções para servirem como a cultura viva de sua raça. Eles
representam o coração de uma comunidade Tauren, e são procurados para oferecerem proteção e orientação aos demais membros de sua comunidade.

Apesar de matarem animais, os Tauren são ensinados a nunca desperdiçar nada que a natureza lhes dê, e a sempre devolver tanto quanto puderem. Eles aprendem sobre o tênue equilíbrio do círculo da vida, e que se eles honrarem a Mãe Natureza, ela os abençoará em troca.

Nomes de Taurens

Femininos: Aponi, Aska, Chezin, Chuho, Magatha, Malaya, Nala, Siln, Teve, Teya.

Masculinos: Atsoba, Bovan, Dezco, Hamuul, Jevan, Muln, Tagar, Tahu, Trag, Xarantauro.

Sobrenomes: Taunka e Yaungol não usam sobrenome, às vezes adotando epítetos. Já os Shu’halo algumas vezes usam os nomes de suas tribos como
sobrenomes.

Traços Raciais dos Taurens

Seu personagem tauren possui as seguintes características raciais.

Aumento no Valor de Habilidade. Seu valor de Força aumenta em 2.

Idade. Tauren alcançam a idade adulta ao completarem 50 anos e conseguem viver até pouco além dos 150.

Tendência. Os tauren são criaturas muito ligadas às suas tradições, porém, não possuem maior inclinação para o bem ou mal. A tendência predominante dos tauren é leal e neutra.

Tamanho. Tauren são muito maiores que seres humanos, chegando a medir até 2,30m de altura e pesar mais de 250kg de puro músculo. Apesar disso, ainda são considerados criaturas Médias.

Deslocamento. Seu deslocamento base de caminhada é 9 metros.

Chifres. Os chifres dos tauren são armas poderosas, podendo serem usados para ataques desarmados e causando 1d4 de dano perfurante (ou
concussivo, caso sejam serrados) e sendo considerados com as propriedades acuidade e leve.

Compleição Poderosa. Você conta como uma categoria de tamanho maior quando for determinar sua capacidade de carga e o peso que é capaz de
erguer, puxar ou empurrar (ver Tamanho e Força no Livro do Jogador, pg. 176).

Sub-raça. Existem duas sub-raças tauren: os tauren das planícies, com características de touros, e os taunka, também conhecidos como tauren do
gelo, com características de bisão.

Shu’halo

Ou Tauren das Planícies, são os mais comuns de serem encontrados. Eles possuem uma cultura nômade muito forte, o que lhes deu um senso de comunidade realmente ímpar. Eles são, em uma só palavra: estoicos. Seu ar introspectivo junto com o tamanho avantajado faz com que qualquer um
entenda rapidamente o motivo deles serem tidos como um povo sábio e perigoso.

Tribos Shu’halo: Alta Montanha, Andarilhos da Montanha, Caça-manhã, Canto Nubiloso, Casco de Pedra, Casco Sangrento, Corre com a Névoa, Garra
da Águia, Persegue-céus, Runa Totem, Temível Totem, Totem da Fúria.

Aumento no Valor de Habilidade. Seu valor de Sabedoria aumenta em 1.

Bênção da Mãe-Terra. Você possui resistência ao dano de veneno e eletricidade. Adicionalmente, você tem vantagem nos testes de resistência contra venenos.

Caminhos da Mãe-Terra. Você ganha proficiência em Sobrevivência e com o Kit de Herbalismo.

Treinamento Tauren em Combate. Você tem profciência com alabardas, lanças, lanças longas e totens tauren.

Idiomas. Você sabe falar, ler e escrever Órquico e Taur-ahe.

Baine Casco Sangrento, Chefe do Penhasco dos
Trovões. Por Glowei.

Taunka

Uma sub-raça antiga dos Tauren vivendo em Nortúndria, acreditavam-se que os Taunka haviam sido extintos pouco após a Guerra dos Antigos. Mas eles
foram redescobertos por forças da Horda quando a campanha de guerra contra o Lich Rei foi iniciada.

Por viverem em um ambiente com uma natureza tão impiedosa, nos desertos gelados das terras do norte, os Taunka aprenderam a comunicarem-se
com os espíritos dos elementos através da coerção e demonstrações de força, no lugar de pedir-lhes suas bênçãos, como fazem os demais Tauren. E
eles mesmos passaram a respeitar mais a força e quem é capaz de manter a liderança através dela. Com esta mentalidade, sua aliança com a Horda foi
bastante natural.

Tribos Taunka: Bruma Boreal, Totem de Cinzas, Vento de Inverno.

Aumento no Valor de Habilidade. Seu valor de Constituição aumenta em 1.

Fúria Taunka. Quando você atinge o 3º nível, você pode conjurar sobre si a magia aumentar/diminuir, usando apenas a opção de aumentar. Você
não precisa de componentes materiais para conjurá-la. Você recupera a capacidade de conjurar esta magia usando esta característica quando terminar
um descanso prolongado. Sua habilidade de conjuração para esta magia é o Carisma.

Idiomas. Você sabe falar, ler e escrever Taur-ahe e um idioma adicional à sua escolha.

Arte conceitual dos Taunka. Por Justin Kunz.

Yaungol

A raça ancestral da qual tanto os shu’halo quanto os taunka descendem, os Yaungol rondavam o continente de Kalimdor sob a tutela de Cenarius.
Eventualmente, eles migraram para o sul, onde foram escravizados pelo Império Mogu e proibidos de manterem sua tradição oral. Atualmente, eles
vivem no continente de Pandaria, tentando conquistar para si um território onde possam se reestabelecer e construir uma nova cultura que rivalize
suas tradições perdidas.

Tribos Yaungol: Bataari, Brisa Leve, Burilgi, Gai-Cho, Ordo, Ordon, Osul, Parlamorte, Ruqin, Yongqi.

Aumento no Valor de Habilidade. Seu valor de Destreza aumenta em 1.

Fúria dos Sha. Quando você fzer o seu primeiro ataque no turno, você pode escolher deixar-se levar pela influência dos Sha em sua raiva, permitindo que a fúria guie sua mão. Fazer isso lhe concede vantagem nas jogadas de ataque com armas corpo-a-corpo durante seu turno, porém, as jogadas de ataques feitas contra você possuem vantagem até o início do seu próximo turno. Após você ter esse surto de ferocidade, você só pode usar essa habilidade novamente após um descanso curto.

Idiomas. Você sabe falar, ler e escrever Yaungol e um idioma adicional à sua escolha.

Yaungol no Diário de Viagem de Li Li.

—-

Troll

A raça dos trolls é uma das mais antigas e espalhada de Azeroth. Seus antigos impérios dominaram enormes porções do mundo, antes mesmo da Guerra dos Antigos, e até hoje é possível encontrar nativos nos mais distantes pontos do planeta.

Eles possuem três dedos nas mãos e dois em cada pé. Tanto os machos quanto as fêmeas possuem presas grandes e protuberantes saindo de suas bocas, apesar do estilo e tamanho variar bastante de indivíduo para indivíduo. Trolls são bastante atléticos e esguios, dotados de boa flexibilidade.

Geralmente bastante xenófobos e com hábitos canibais, muitos dos trolls são leais apenas com indivíduos de suas próprias tribos, geralmente sendo
hostis a criaturas de fora (e até mesmo trolls de tribos diferentes). Membros das tribos Lançanegra, Lança Partida e Revantusco são a exceção, mantendo filiação com a Horda.

Impérios Ancestrais

Há 16 mil anos, os trolls dominavam grande parte de Kalimdor – que, na época, era um único continente. Os Zandalari foram os primeiros trolls de que se tem notícia, e acredita-se até hoje que todos os trolls originaram-se deles. O Império Zandalari possuía um sistema de castas bastante restrito, que levou à criação de sub-raças diferentes.

Eventualmente, os membros das castas inferiores abandonaram o império, assentando-se em terras distantes e formando suas próprias nações. Com o tempo, dois outros impérios trolls surgiram: o Império Amani nas florestas centrais do continente, e o Império Gurubashi, nas matas do sul. Outras nações menores surgiram em pontos mais distantes, como a pequena Zul’Drak, no norte.

Canibalismo e Vodu

O canibalismo é uma prática comum entre os trolls. Muitas de suas tribos permanecem notoriamente canibais. As exceções mais notáveis são as tribos de Zandalar e Revantusco. Os Lançanegra praticavam o canibalismo até unirem-se à Horda, que proibiu a prática dentre seus membros.

Outra tradição bastante antiga entre os trolls é a prática do vodu. Eles veneram incontáveis espíritos primais – muitos deles sem formas, mas alguns
representando animais ou ancestrais. As famílias troll comumente prestam homenagens a loas familiares. Comunidades comumente possuem alguns
loas mais populares como objetos de devoção. E os mais poderosos dentre os loas são venerados por nações inteiras. Acredita-se que indivíduos especialmente poderosos e sábios podem tornarem-se loas ao morrerem – passando a zelar e guiar os demais membros de sua família ou comunidade.

Nomes de Trolls

Femininos: Amira, Askia, Batamsi, Fazerra, Hexx, Kulratha, Mar, Tabra, Vanira, Velratha.

Masculinos: Daakara, Gash, Jammal, Kazra, Krag, Longo, Malacrass, Rogg, Tresh, Voone.

Prefixos e Sufxos: os trolls não possuem tradição de sobrenomes, mas fazem um grande uso de prefxos e sufxos para denotar status social e honrarias. Os mais comuns são os sufxos ‘fon (solitário ou exilado) e ‘jin (líder), e o prefxo Zul’ (grande, que pode descrever uma pessoa ou local).

Traços Raciais dos Trolls

Seu personagem troll possui as seguintes características raciais.

Aumento no Valor de Habilidade. Seu valor de Destreza aumenta em 2.

Idade. Trolls amadurecem muito mais rápido que os seres das outras raças, atingindo a idade adulta por volta dos 15. Um troll de 30 anos já é considerado um indivíduo de meia-idade. Eles raramente envelhecem até os 80 anos.

Tendência. Apesar de serem bastante honrados, os trolls não são particularmente afeitos a seguirem regras ou manterem sua palavra. Espíritos livres, eles geralmente se preocupam apenas com o seu bem estar e o bem de sua tribo. A maioria dos trolls é caótica e má, porém, os integrantes da Horda estão aprendendo costumes novos, sendo mais comuns indivíduos neutros entre eles.

Tamanho. Trolls são bastante esguios e bem mais altos que os humanos, apesar de andarem curvados, medindo entre 1,90 metro e 2,20 metros. Seu
tamanho é Médio.

Deslocamento. Seu deslocamento base de caminhada é 9 metros.

Regeneração. Sempre que você rolar Dados de Vida para recuperar pontos de vida após um descanso curto, você pode adicionar duas vezes o seu
modificador de Constituição ao resultado, ao invés de apenas uma. Membros decepados do corpo do troll crescem novamente ao longo de 1 semana (no caso de dedos, orelhas e outras estruturas menores) a 2 meses (no caso de pernas, braços e outras partes maiores). Se você tiver uma parte decepada
e segurá-la contra o ferimento de onde ela saiu, ela estará grudada de volta após completar um descanso completo assim.

Servos dos Deuses Selvagens. Você ganha proficiência nas perícias Sobrevivência e Religião.

Visão no Escuro. Vivendo em florestas com grandes predadores noturnos, os trolls rapidamente se adaptaram e desenvolveram uma excelente visão
noturna. Você enxerga na penumbra a até 18 metros como se fosse luz plena, e no escuro como se fosse na penumbra. Você não pode discernir cores
no escuro, apenas tons de cinza.

Idiomas. Você sabe falar, ler e escrever Órquico e Zandalari.

Sub-raça. Existem sub-raças de trolls divididas numa infinidade de tribos, porém, aqui vamos nos restringir a apresentar apenas aquelas que possuem tribos com alguma afiliação à Horda: Amani, os trolls da floresta (tribo Revantusco) e Gurubashi, os trolls das selvas (tribo Lançanegra).

Amani

Também conhecidos como os trolls da floresta, os Amani possuem uma fina camada de musgo crescendo sobre sua pele, lhes conferindo uma cor mais esverdeada. O antigo Império Amani ruiu após séculos de guerras quando uma aliança de humanos e elfos os derrotou de uma vez no sopé das Montanhas de Alterac. Ainda assim, alguns trolls da floresta sobreviveram, nutrindo seu ódio pelos elfos e humanos nas florestas do norte dos Reinos Orientais.

Durante a Segunda Guerra, os trolls Amani aliaram-se temporariamente à Horda. Mas logo retornaram à sua vida de reclusão e conflitos internos. Uma tribo, os Revantuscos, manteve sua lealdade, lutando com as demais tribos de trolls da floresta e os anões do clã do Martelo Feroz num esforço de tomar as Terras Agrestes para si em nome da Horda.

Aumento no Valor de Habilidade. Seu valor de Força aumenta em 1.

Saltadores. Você tem vantagem em testes de Força (Atletismo) que envolvam saltar.

Treino de Armas Amani. Você tem proficiência com machados de batalha e machadinhas. Além disso, você é considerado proficiente ao arremessar basicamente qualquer arma (inclusive as improvisadas e demais armas com as quais não é normalmente proficiente).

Zul’jin, líder da tribo Amani durante a Segunda Guerra. Por Steve Prescott

Gurubashi

Popularmente conhecidos como trolls das selvas, eles descendem do poderoso Império Gurubashi, que dominava as matas na região da Selva do Espinhaço. É lá que a maioria dos membros desta subraça ainda vive. Fora da grande selva, a maior concentração destes trolls é em Durotar, colonizando as Ilhas do Eco e a costa próxima da Vila de Sen’jin.

Seres extremamente supersticiosos, os gurubashi possuem uma cultura muito centrada na astúcia, na caçada e aperfeiçoamento da comunhão com os espíritos, de onde eles tiram boa parte de seu poder.

Durante o êxodo da Horda, sob o comando de Thrall, a facção resgatou a tribo Lançanegra do julgo da deusa Zar’jira, a Bruxa do Mar. Como uma forma de retribuição, os Lançanegra aliaram-se à Horda. Esta relação com os orcs e os tauren começou a mudar a mentalidade dos trolls, fazendo-os, inclusive, abandonar a tradição do canibalismo.

Já a tribo Lança Partida ficava localizada na Costa Negra e foi arregimentada para a Horda quando sob o comando de Garrosh Hellscream. O então líder da Horda usou-os de bucha-de-canhão numa tentativa de dizimar os Elfos Noturnos da Costa Negra. Com a morte de seu último líder, Jor’kil, a tribo dissipou-se. Muitos membros permaneceram na Horda, carregando consigo a memória de sua antiga tribo, enquanto outros buscaram exilarem-se, maldizendo a traição de Garrosh e a falta de ação de Vol’jin para intervir ou até mesmo restituí-los.

Aumento no Valor de Habilidade. Seu valor de Sabedoria aumenta em 1.

Equilíbrio Perfeito. Você tem vantagem em testes de Destreza (Acrobacia) que envolvam cair de grandes alturas ou equilibrar-se em superfícies estreitas.

Treino de Armas Gurubashi. Você tem proficiência com todos os arcos, lanças e demais armas de haste (alabardas, bastões, tridentes).

Mojo Masher Ven’dango, um troll ladino. Por Lucas Graciano.

—-

E é isso por hoje. O post ficou enorme! O que acharam dos Taurens e dos Trolls?

Semana que vem vou tratar de duas nações de seres amaldiçoados. Não vou chamar de raças porque eles não são raças naturais, mas sim indivíduos tratados como tal por conta das terríveis maldições que sofreram.

Anúncios

Sobre CF

A fellow brazillian player.

Publicado em 23/05/2017, em Adaptação e marcado como , , , , . Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: