Arquivo mensal: novembro 2015

O que os jogadores acharam do novo Ranger

D&DNão foram todos que viram, mas numa postagem razoavelmente recente da coluna Unearthed Arcana, a Wizards of the Coast apresentou uma prévia de uma possível variante da classe Ranger, explicando o que mudaram em relação ao original e o porquê. É uma opção interessante e eu realmente recomendo que quem gosta da classe dê uma olhada.

Posteriormente, a Wizards fez uma pesquisa de opinião levantando o que os jogadores acharam desta versão opcional da classe. Dos pontos fortes e fracos dela, bem como a opinião dos jogadores a respeito das versões do ranger das edições anteriores, focando bastante em descobrir qual “cara” o público prefere que o ranger apresente.

Eis que há pouco mais de dez dias saiu o resultado da pesquisa, com as considerações do Mike Mearls a respeito das respostas.

Resultado da Pesquisa do Ranger

Fonte: Player's Handbook (5e)

Fonte: Player’s Handbook (5e)

Em nossa mais recente pesquisa, perguntamos um pouco a respeito dos aspectos gerais da classe ranger e de um exemplo de um novo ranger refeito do zero, apresentado até o quinto nível. A classe foi uma tentativa de abordar a fonte da insatisfação que percebemos que os jogadores têm apresentado com o ranger, e determinar quais alterações nós deveríamos fazer na classe (se é que deveríamos) em material futuro.

Há dois elementos interessantes que surgiram nesta pesquisa. Para começar, as versões da 2ª e 3ª edições da classe são as que foram mais bem recebidas. Estas duas versões misturam o companheiro animal com perícias de sobrevivência, magia e um estilo de luta único focado no uso de duas armas. A 3ª edição adicionou a opção da arquearia. Elas parecem casar bem com os resultados obtidos com as regras gerais do design da classe oferecida no artigo da Unearthed Arcana. O conceito do campeão da natureza e defensor num estilo parecido com o do paladino não é muito popular, as pessoas gostam do ranger capaz de sobreviver na natureza através de uma combinação de perícias e habilidades mágicas.

Com base nestas informações, não é surpresa ver que uma classe ranger com menos ênfase na magia e sem um companheiro animal de carne e osso e sempre presente recebeu notas bem baixas.

Para o próximo passo, vamos tentar modelar um ranger que concentre-se mais no companheiro animal e torne-o uma parte da base da classe. Esta abordagem permite que mais do “orçamento de poder” da base da classe vá para o companheiro. Pense neste orçamento como a eficácia total possível de ser alcançada com a classe, dividida dentre suas habilidades. O design inicial da 5e jogou o companheiro animal para ser uma escolha de arquétipo do ranger, exigindo que ele fosse adicionado além das características básicas de todos os rangers. Ao tornar o companheiro animal parte da base comum da classe, nós teremos muito mais liberdade para brincar com esta característica.

Fonte: Wizards of the Coast | November 2015 Survey por Mike Mearls

 

Anúncios

Mapa em Alta Resolução da Costa Selvagem

D&DA Wizards of the Coast participou de uma campanha de caridade do site Extra Life e, por ter alcançado seu objetivo de levantar fundos no valor de US$100.000,00, ela liberou em seu site um mapa em altíssima resolução da porção nordeste de Faerûn, exibindo de Amn até O Vale do Vento Gélido, das Ilhas Moonshae até a Terra dos Vales. Ele é bastante gigante: 10.200 x 6.600 pixels! Isso dá uns 3,5m x 2,3m.

Abaixo está uma versão menor, para você saber mais ou menos como é o mapa. Mas basta clicar na imagem para ser levado diretamente ao site da WotC, onde você pode baixar o mapa em tamanho original. O mapa foi feito por Mike Schley.

Costa da Espada

Fonte: ENWorld.org | Here’s That Hi-Res Sword Coast Map

 

Índice Remissivo melhorado para o Player’s Handbook 5e

D&DO usuário copperdogma do EN World preparou um índice remissivo mais completo e prático para ajudar nas consultas ao Player’s Handbook. Ele tem 5 páginas e é bom para ser impresso e carregar junto com o livro.

Eu tomei a liberdade de colocar a versão em PDF dele disponível na página de Recursos para D&D, porém, você pode encontrar outras versões e acompanhar as atualizações do autor no endereço: https://github.com/copperdogma/dnd-phb-5e-index

Como pode haver material para o D&D 5e sem licença?

Originalmente publicado por Morrus no ENWorld.org sob o título “What’s All This About Third Party 5E Stuff?

Estou escrevendo este post, principalmente, porque toda vez que é anunciado um produto para a 5e de outra empresa que não a WotC imediatamente aparece alguém e porgunta: “Ahn? Como eles podem fazer isso?” e toda a discussão transforma-se na mesma conversa de sempre sobre leis de propriedade intelectual, ao invés de ser discutido o produto que foi noticiado. Espero que este artigo curto possa servir como uma explicação conveniente, pronto para ser linkado quando este tipo de conversa surgir, evitando a fuga do tópico e permitindo que a discussão concentre-se no produto que a gerou. O que segue é uma cobertura breve – e rasa – sobre os produtos para o D&D 5ª Edição lançados por outras empresas. E, possivelmente, uma forma de ajudar a lidar com as discussões de “Como pode a empresa/autor X lançar produtos para a 5e?”.
Leia o resto deste post

Estou de volta!.. Quase.

Vou ser breve:

Meu computador anterior pifou e eu tive de comprar um novo. Além disso, eu estou precisando me dedicar mais a outras áreas da minha vida, e vou diminuir bastante as postagens por aqui até o ano que vem. Espero que entenda.