Pactos Infernais – parte II

D&DContinuando o assunto sobre pactos infernais para warlocks, vamos falar um pouco sobre os tipos de patronos que eles podem ter. Caso não tenha lido o primeiro post desta série, recomendo que o faça antes de seguir. E caso não tenha visto, saiba que o terceiro e último post desta série já foi publicado.

– – –

Tipos de Patronos Infernais

Quando fala-se em seres infernais, normalmente refere-se a membros de três raças de habitantes dos planos inferiores: baatezu (ou diabos), tanar’ri (ou demônios), yugoloths (ou daemons).

Baatezu (Diabos)

Os habitantes de Baator (ou Inferno, ou os Nove Infernos), comumente chamados de Diabos, são a personificação do que é ser Leal e Mau. Uma raça de imortais criada no início do tempo, eles se dividem em quatro (ou cinco, se contar os lêmures) categorias hierárquicas: os lêmures (que nem são reconhecidos como diabos), os diabos menores, os diabos maiores e os Arquidemônios.

Um Demônio das Profundezas e um Gelugon, por Sam Wood. Fonte: Monster Manual (3.5)

Um Demônio das Profundezas e um Gelugon, por Sam Wood. Fonte: Monster Manual (3.5)

Apenas os mais poderosos dentre os diabos maiores e os Arquidemônios são capazes de fazer o investimento de poder que leva à criação de Warlocks. Diabos maiores são os malebranches, erinyes, gelugons e demônios das profundezas. Eles estão descritos no Monster Manual.

Os Arquidemônios – um grupo que inclui os duques, arquiduques e os lordes do inferno – são a nobreza de Baator. Cada um deles é detentor de um título de nobreza que também representa responsabilidades relacionadas a uma das nove camadas infernais. Eles são detentores de imenso poder e influência. O fato de nenhum deles ter ascendido à divindade, exceto por Asmodeus, o Rei do Inferno, é um mistério, já que eles possuem mais poder individual que muitos deuses.

Os Lordes das Nove são (por ordem de camada):

  1. Zariel, arquiduque de Avernus;
  2. Dispater, arquiduque de Dis;
  3. Mammon, arquiduque de Minauros;
  4. Belial e Fierna, arquiduque e arquiduquesa de Phlegethos;
  5. Levistus, arquiduque de Stygia;
  6. Glasya, arquiduquesa de Malbolge;
  7. Belzebul, arquiduque de Maladomini;
  8. Mephistopheles, arquiduque de Cania;
  9. Asmodeus, arquiduque de Nessus e senhor de todos os Nove Infernos.

Os Baatezu possuem a maior chance de realmente redigir um contrato com seus Warlocks e cobrar-lhes que sempre comportem-se dentro do que foi acordado pelo pacto. Bem como de retirarem os poderes daqueles que descumprirem com seus parâmetros. Dificilmente um baatezu manteria um Warlock caótico.

Tanar’ri (Demônios)

por Thomas M. Baxa. Fonte: Fiendish Codex I: Hordes of the Abyss.

por Thomas M. Baxa. Fonte: Fiendish Codex I: Hordes of the Abyss.

A raça mais prolífica de seres infernais, os demônios são forças do mal e caos que habitam o Abismo. Sua origem é bastante antiga. Especula-se que eles foram criados a partir da corrupção de alguns dos primeiros elementais, quando os planos elementais ainda não estavam separados.
Desprovidos de qualquer hierarquia, eles não possuem líderes naturais, porém, os Lordes Demoníacos de sua raça são fortes o bastante para comandar alguns exércitos de demônios. E são justamente estes Lordes Demoníacos os Tanar’ri capazes de juntar poder pessoal o bastante a ponto de investir em pactos com Warlocks.

A maioria dos Lordes Demoníacos possuem cultos espalhados pelos mundos do Plano Material Primário, numa tentativa de angariar fiéis o bastante a ponto de ascenderem à divindade. Alguns como Demogorgon, Lolth, Orcus, Sess’innek e Yenoghu, conseguiram. Além disso, pelo menos um destes Lordes Demoníacos (Juiblex) é na realidade um aspecto de um deus maligno (Ghaunadaur) enviado para angariar mais fiéis.

Ser também um deus não impede que estes Lordes Demoníacos façam pactos com mortais concedendo os poderes de Warlock. De fato, para os Lordes Demoníacos comumente vêem seus Warlocks como as divindades benignas veriam seus Paladinos.

Os Tanar’ri normalmente não redigem contratos, apenas estipulam algumas linhas gerais a serem seguidas, quando muito. Há histórias de um Warlock que pactuou com um Tanar’ri e tudo o que seu patrono lhe disse foi “Contrato feito!” enquanto desmaterializava-se, gargalhando. É dito que este Warlock até hoje vive com medo de descontentar seu patrono sem saber e descobrir-se sem poderes (ou até sem alma) de uma hora para a outra.

Yugoloth (Daemons)

Yugoloths, por Wayne Reynolds. Fonte: Manual of the Planes (3e)

Yugoloths, por Wayne Reynolds. Fonte: Manual of the Planes (3e)

Mercenários manipuladores, os daemons são seres infernais Neutros e Maus nativos da Fenda de Sangue, a divisa entre os Nove Infernos e o Abismo. É lá que diabos e demônios se enfrentam para determinar a supremacia sobre os planos inferiores. E é lá que estes mercenários vendem seus serviços para ambos os lados. Eles seriam ótimos patronos para Warlocks no Plano Material Primário, mas dificilmente seu interesse é captado por coisas longe dos campos de batalha da Guerra Sangrenta, o nome do conflito milenar que acontece em seus domínios.

Ainda assim, alguns indivíduos das castas mais poderosas dos Yugoloths, em especial dos Altraloths e Ultroloths, possuem a perigosa mistura de interesse e poder pessoal que os permite manter uma maior atenção nos mortais do Plano Material Primário.

Os Yugoloths fazem acordos curtos e claros, normalmente com apenas uma linha geral do que seus Warlocks devem promover e do que eles precisam evitar, sempre de forma verbal, e o mortal revestido de poder que se vire para não entender errado nem esquecer o que foi estipulado. Porém, eles são notoriamente os patronos que menos se manifestam para seus Warlocks após selado o pacto. Mas daí a dizer que eles não mantêm uma vigília sobre as ações daqueles que eles revestem de poder…

Outros Seres Infernais

Há ainda os Obyrith e os Loumara, ambos tecnicamente classificados como demônios, mas eles são casos bem especiais e dificilmente qualquer um dos membros destas raças fariam pactos infernais com mortais.

Os primeiros por serem seres tão infinitamente antigos e acima dos mortais (eles são como deuses para os demônios), que suas preocupações jamais passariam por quaisquer indivíduos que vivam no Plano Material Primário.

E os segundos por serem uma raça extremamente nova de demônios, com apenas alguns séculos de existência. Talvez, quando um deles possuir poder o bastante para agraciar um mortal com poderes de Warlock, ele se interesse em fazer pactos desta natureza. Uma possibilidade não muito distante, já que eles são originários da corrupção de sonhos de deuses mortos e possivelmente ainda carregam consigo uma centelha divina.

– – –

Por enquanto é tudo. No último post desta série, vou relacionar aqui alguns exemplos de patronos que os Warlocks podem ter.

E o que você achou desta segunda parte? Alguma sugestão?

Anúncios

Sobre CF

A fellow brazillian player.

Publicado em 13/07/2015, em Original e marcado como , , , , , . Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: